A decisão- Parte 2

Publicado: 12/11/2010 por Scuderia Brasil Racing™ em F1

por Tomás Motta

RBR/Renault

Como discutimos ontem, em “A decisão- Parte 1″, o campeonato acabou tomando outros aminhos pelas decisões das equipes com o tratamento dos seus pilotos. E hoje, voltamos á Red Bull. E a mais uma decisão agilmente tomada há algumas corridas, ou desde sempre. O foco da Red Bull é Vettel, diz Webber. A sua idade, carisma, estrela e talento são os reponsáveis por Horner, Marko e cia escolherem o alemão como o número 1.

O que é a melhor escolha a ser feita, apesar de muitos não concordarem com isso. Vettel já teria o campeonato no bolso se o RB6 não tivesse falhado no Bahrein, Austrália e Coréia, onde Seba, só nesses três GPs, perdeu 63 pontos. Erros desnecessários, como na Turquia ou Bélgica, também foram fatores chaves para Vettel estar com desvantagem de 15 pontos para Alonso hoje, mas que o deixariam na liderança isolada sem problemas.

Por isso ainda sustento a ideia de que Yeongam mudou o rumo do campeonato. Com uma belíssima vitória que estava a 10 voltas de ser concretizada, Vettel seria o líder do campeonato com uma grande vantagem. Mas o seu abandono e a repentina vitória de Alonso fizeram com que mais uma vez a igualdade permaneça em Milton Keyes, para desespero de Horner.

Assim, vemos qual foi a decisão que traz Vettel com chances de levar o título no dia 14. A Red Bull nunca deixou de apoiar Vettel. É ele, como alegam os próprios dirigentes e funcionários, que quer o bem da equipe, ao contrário de Webber, que traz o mal estar ao time por meio de declarações de pura inveja, sendo que no fundo sabe que estar na frente de Vettel hoje seja um milagre.

Acima de tudo, a Red Bull acertou na decisão de não relegar Vettel a ser segundo piloto mesmo quando tudo parecia em contra de Seba, até quando foi denominado de “crash-kid” po Martin Withmash, da McLaren. E porque a Red Bull acertou? Simples. Vettel chega á Abu Dhabi com uma auto-estima imensa e sabendo que pode ser campeão. Irá voar para marcar a Pole e vencer de ponta a ponta. Só que no caso de Webber estar atrás e Alonso em terceiro, será a peça definitiva para zelar o título de Webber, pensando na equipe e sem se preocupar em dar o título ao seu maior inimigo.

No outro aspecto, tomando como exemplo a atitude da Ferrari em já deixar claro o primeiro piloto desde a metade do campeonato, Vettel estaria hoje sem garra nenhuma, tendo que deixar suas vitórias a Webber e podendo piorar seu desempenho para que Webber não seja campeão. É algo simples que a Red Bull optou por realizar já faz alguns meses e que parece ser a principal estratégia para levar o título. Enquanto isso, Alonso rema sozinho e Massa está sem participação nenhuma e muito menosmotivação para lutar por algo, mesmo que Domenicali queira esconder isso. No caso, se Alonso vier a perder o título, a culpa será da Ferrari e sua decisão.

Agora, a Red Bull sabe que com uma dobradinha conquista o título, principalmente porque Vettel não teria maiores problemas em entregar a vitória á Webber pois o time lhe deu chances até o final. É uma lição a ser aprendida por muitos, mas que precisamos ver se dará certo na prática. O que coloca em dúvida isso são as palavras de Dietrich Mateschitz, dono da Red Bull, em que alega que prefere ser 2º do que ser campeão com ordens de equipe. É difícil acreditar nisso quando presenciemos na prática. Esta que apenas veremos no decisivo domingo em Abu Dhabi. Só nos resta esperar, e analisar na seção de comentários logo abaixo. Fiquem á vontade.

 

Fonte: http://theformula1.wordpress.com/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s